avicultura

Abr 12

No último mês de março, a OIE (Organização Mundial de  Saúde Animal) reportou 13 novos focos de Influenza Aviária em 8 países localizados na Europa, Ásia e divisa da Ásia com a África, no caso do Egito. Na Europa, os países afetados foram Dinamarca e Bulgária, enquanto os países asiáticos afetados foram o Vietnã, o Nepal, o Cambodja, o Iraque e a China.

Ao todo, foram reportadas oito cepas do vírus da Influenza Aviária, sendo duas novas cepas: a H5N2(Influenza Aviária Altamente Patógena – IAAP), no Egito, e a H7 (Influenza Aviária Levemente Patógena – IALP), na Dinamarca.

Foram mais de 80 mil animais afetados, entre frangos, poedeiras, patos, perus e corvos. Além das ocorrências em que não foi possível apurar a procedência do vírus, houve casos de contágio de aves criadas soltas, detecção do vírus em aves silvestres e disseminação do vírus via transporte ilegal ou comércio de aves vivas.

Apesar de o vírus da Influenza Aviária não ter sido reportado nas Américas durante o mês de março de 2019, já no primeiro dia do mês de abril a OIE reportou um caso em Alcoman, no estado do México. O vírus foi detectado num lote de 150 aves de fundo de quintal que apresentaram alta mortalidade e sinais clínicos da  doença como inchaço da crista e barbela e morte súbita.

Também no mês de abril, até o dia 11, foram reportados novos focos de Influenza Aviária nas cidades chinesas de Taipei (1 garça real) e Xinmin (25.472 aves de produção), além de um foco no Butão (2 mil aves de fundo de quintal).

Casos reportados pela OIE em março de 2019

tabela oie

Eficiência

Um dado que chama atenção nos reportes da OIE diz respeito ao prazo que cada país leva até que o caso seja reportado à Organização Internacional. Enquanto a Bulgária reportou o caso no mesmo dia em que a ocorrência teve início (13/3), o Cambodja levou 1 ano e 26 dias para comunicar, à OIE, a ocorrência iniciada em 24/2/18.

Veja abaixo, em ordem crescente, o tempo que cada país precisou para reportar cada foco da Influenza Aviária:

  •  Bulgária – Início em 13/03; Confirmação por Laboratório em 13/03; Notificação pela OIE em 13/03 = 1  dia;
  • Dinamarca – Início em 12/03; Confirmação por Laboratório em 14/03; Notificação pela OIE em 15/03 = 3  dias;
  • Dinamarca – Início em 26/02; Confirmação por Laboratório em 28/2; Notificação pela OIE em 1/3 = 4  dias;
  • Iraque – Início em 17/03; Confirmação por Laboratório em 22/03; Notificação pela OIE em 25/03 = 8  dias;
  • Nepal – Início em 17/03; Confirmação por Laboratório em 21/03; Notificação pela  OIE em 26/03 = 9  dias;
  • China – Início em 17/03; Confirmação por Laboratório em 25/03; Notificação pela OIE em 28/03 = 11  dias;
  • Egito –  Início em 21/02, Confirmação por Laboratório em 28/02; Notificação pela OIE em 06/03 = 13  dias;
  • Vietnã – Início em 11/2; Confirmação por Laboratório em 27/02; Notificação pela OIE em 12/03  = 29  dias;
  • Nepal –  Início em 14/02; Confirmação por Laboratório em 06/03; Notificação pela OIE em 17/03 = 31  dias;
  • Cambodja – Início em 24/02/2018; Confirmação por Laboratório em 15/02/2019 ;Notificação pela OIE em 22/03/2019 = 1 ano e 26  dias.

Doença de Newcastle

Mais que isso, o mês de abril traz um reporte da Doença de Newcastle no Cambodja. O  caso foi detectado num lote de 57 aves de fundo de quintal.

Enquanto isso, desde maio de 2018, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) já confirmou mais de 400 casos da Doença de Newcastle no sul da Califórnia, principalmente em aves de fundo de quintal.

Fonte: Avinews (Todos os dados desta matéria foram retirados de Informes Oficiais da OIE)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *